Inspiração em forma de notas e acordes

De repente chuva!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

De repente chuva! E tudo o que era cor, faz-se em matiz de cinza. O canto se entristeceu, as janelas se fecharam, as portas se bateram, pessoas se trancafiaram, mas eu aqui na sacada da minha casa, canto alegremente a honra de poder sentir essa chuva! O barulho ao cair intervalando as minhas notas, os pássaros felizes celebrando em comunhão, as árvores se balançando contentes pela água que as rega, que traz a elas vida! Devíamos ao menos aprender com os seres impensantes, que por vezes tenho a certeza que "pensam" mais que nós, pois foram criados para ser o que Deus quis, e não tiveram a audácia de mudar o rumo das coisas em contrariedade à vontade divina. Devíamos mesmo aprender com os seres! A cantar com tudo, e sobretudo quando aquilo que cai do céu, aparentemente diluviante ou entristecedor, é algo anunciador de mais vida no amanhã! Eu quero chuva! Eu quero molhar-me nas águas do Espírito, quero correr pela rua de braços abertos sentindo a liberdade vibrante em meu corpo. Quero sentir cada gota que se confunde com minhas lágrimas de felicidade e gratidão! Quero aprender a ser mais um ser vivo criado por Deus! Quero viver de verdade e saber, que após uma chuva ou tempestade, sempre haverá uma bonança! E assim, eu incorporo a sinfonia dos pássaros e canto alegremente, canto e canto, simplesmente!

2 externalização(ões):

Sinvas disse...

Linda poesia kra!
Concordo plenamente que deveríamos aprender mais com os seres impensantes! rsrs

Rodrigo Seixas disse...

Pois é, totalmente! Eu fiquei viajando nisso aqui, vou até lançar um post no facebook!

Postar um comentário

Externalizações